sexta-feira, 27 de abril de 2012

CAMPEONATO PORTUGUÊS



Hoje, sexta feira, 27 de abril, o Braga joga contra o Olhanense, no estádio Municial de Braga, para garantir de vez a vaga na Champions League 2012/2013. 
O título já escapou após as derrotas para o Benfica e Porto e o empate contra o Paços de Ferreira. Infelizmente, o meu "queridinho", não será campeão esse ano. 
Tudo bem, o importante é estar na Liga mais disputada do mundo, a Champions.
O Benfica joga contra o Rio Ave como visitante, no Domingo e ainda tenta se manter vivo em busca do título.
O Porto, também como visitante, joga contra o Marítimo, amanhã, e uma vitória o deixará cada vez mais próximo da taça Lusitana.

Façam suas apostas!

PORTO?
BENFICA? 

MILAGRE DE BRAGA?

VOCÊ É O CULPADO




No Brasil, quando alguém faz algo de errado, dizemos a seguinte expressão: “Àquela pessoa tem culpa no Cartório”. 
No esporte, quando existem problemas a serem resolvidos por tribunais, eles geralmente são resolvidos internamente, em seus respectivos países. 
Utilizando-nos do futebol, caso algum clube ou atleta venha a ser julgado por alguma ocorrência desportiva, primeiramente são “julgados” nos TJD´s. Tribunais de Justiça Desportiva.
Em casos superiores partimos ao STJD, Superior Tribunal de Justiça Desportiva, esse que está sediado dentro da CBF, porém não há “vínculos” com a entidade de administração do Futebol Brasileiro.

E quando chegamos a casos mais graves, como Doping, problemas de negociações internacionais, entre outros?

Ai surge um Tribunal, escondidinho no mundo e que poucos conhecem e que, com certeza, quem tem o desprazer de conhecê-lo pessoalmente, é por que de uma forma ou outra tem a famosa "culpa no cartório”.

Esse tribunal é conhecido como CAS / TAS ( Corte Arbitral do Esporte ou Tribunal Arbitral do Esporte), sediado nesse "pequeno" castelinho na Suiça.

 TRIBUNAL ARBITRAL DO ESPORTE

O Tribunal Arbitral do Esporte ou Tribunal Arbitral do Desporto (Tribunal Arbitral du Sport ou TAS em francês) é um tribunal internacional que regulamenta disputas relativas a esportes.
A sede do tribunal fica na cidade de Lausanne, com cortes adicionais localizadas em Nova Iorque e Sydney, bem como nas cidades que sediam os Jogos Olímpicos durante a realização dos mesmos.
A sede temporária na cidade sede dos jogos, é feita por questão de emergência, de prática momentânea.
Em 1984, o tribunal foi criado pelo então presidente do Comitê Olímpico Internacional, Juan Antonio Saramanch, sendo um departamento da organização.
Em 1994, a Suprema Corte da Suiça recebeu um apelo contra o TAS, questionando sua imparcialidade quanto a questões relativas ao COI. A Corte estabeleceu que o TAS era um tribunal legítimo, porém recomendou uma maior independência em relação ao COI. 
Desde então o TAS então se separou do COI, tornando-se um tribunal independente.
O TAS regulamente disputas entre partes que não estejam no mesmo país, como Comitês Olímpicos, o COI, federações esportivas, clubes, atletas.
Dentre os casos mais comuns, estão as disputas relativas às transferências internacionais de futebolistas e casos de doping.

Um dos últimos casos em que a decisão foi parar no TAS foi do atleta Jobson, do Botafogo do Rio de Janeiro..

O atacante Jobson foi punido por um ano pelo Tribunal Arbitral do Esporte (TAS) pelo uso de crack. Como já havia cumprido a pena de seis meses, o jogador ficou sem jogar até o dia 6 de março de 2012.

Outro caso muito recente está relacionado ao atletismo Brasileiro. Segue abaixo matéria do globo.com.

O Tribunal Arbitral do Esporte (TAS), órgão máximo na definição de questões judiciais ligadas a atividades esportivas, informou a Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) nesta segunda-feira, 23 de abril, que reverteu o banimento dos técnicos brasileiros Jayme Neto Jr. e Inaldo Justino. A dupla, pivô de um polêmico escândalo de doping no esporte brasileiro em 2009, agora tem punição de quatro anos, mas poderá voltar às atividades.
Em agosto de 2009, cinco atletas do clube Rede Atletismo, de Presidente Prudente, foram flagrados no exame antidoping realizado fora de competição: Bruno Lins Tenório de Barros (200 m e 4x100 m), Jorge Célio da Rocha Sena (200 m e 4x100 m), Josiane da Silva Tito (4x400 m), Luciana França (400 m com barreiras) e Lucimara Silvestre (heptatlo). A substância proibida encontrada foi EPO, um hormônio sintético.
Responsável pelo grupo, Jayme Neto Jr. admitiu que a substância estava sendo injetada periodicamente nos atletas, indicada por um pesquisador da Unesp para recuperação física. O treinador, que foi a cinco Olimpíadas e comandou o time de revezamento 4x100 m que ficou com o bronze nos Jogos de Atlanta 1996, admitiu a responsabilidade por liberar as injeções de EPO nos atletas. Inaldo Justino, que também trabalhava com o grupo, entrou na punição.
Os atletas foram suspensos por dois anos, enquanto que os treinadores tiveram punição de quatro anos de suspensão, determinada pela Comissão Disciplinar Nacional do Atletismo. A CBAt, no entanto, recorreu da decisão e levou o caso ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), que decidiu pelo banimento da dupla. Foi essa medida a revogada pelo TAS nesta segunda-feira. 


Você sabia sobre isso? Conhecia o TAS/CAS?

Deixe seu comentário. Caso tenha informações a acrescentar, não pense duas vezes. Me envie.

Fontes:

FOTO: Crédito ( Tiago Rafael Veloso) direto de Lausanne

SOCCER OU FUTEBOL

 
 
Estava lendo essa matéria abaixo, do site www.universidadedofutebol.com.br, e fiquei pensando. 
 
O esporte mais praticado no mundo é conhecido como soccer, nos Estados Unidos da América, e vem se desenvolvendo muito nos últimos anos.Com tanta organização esportiva, incentivos aos estudantes, estruturas maravilhosas e bilhões de dólares no mercado, em breve poderemos perder espaços para os Americanos ou deveríamos nos preparar para nos unirmos?
 
Temos a técnica e poderíamos desenvolver o esporte em conjunto.

Visto que os Mexicanos disputam a Taça Libertadores da América, em breve poderemos ter as equipes Norte Americanas jogando a Queridinha da América, a Libertadores?

O que você pensa sobre isso? Quando deitar, pense na potência americana usufruindo do esporte mais praticado no mundo!


 
A organização do futebol nos EUA
A prática do futebol nos EUA e as oportunidades e estruturas são avançadas e permitem ao aficionado o sonho de chegar ao nível mais alto da modalidade
Hélio D´Anna
No ano passado, os Estados Unidos já tiveram uma imagem de que futebol é esporte de pouco interesse. No entanto, os números não demonstram isso. Há no momento mais de 20 milhões de jovens praticando essa modalidade no país (segundo a federação americana). De acordo com as instituicoes de promoção do desporto em nível de iniciação (veja abaixo), o país tem mais jovens praticando o futebol do que o beisebol ou futebol americano.
 
A organização do futebol segue a clássica estrutura triangular, com uma base grande de iniciação até o topo, em termos do futebol profissional.
 
Em nível recreativo de iniciação, a AYSO, ou American Youth Soccer Organization (Organizacao Americana de Futebol para Jovens http://soccer.org/home.aspx) tem a função de promover a participação, educar pais e técnicos iniciantes e conduzir eventos locais, estaduais e nacionais. Esses eventos são de natureza recreativa e não visam disputa de trofeus e campeonatos. Há também outra entidade chamada de SAY ou Soccer Association for Youth (Associacao de Futebol para Jovens - http://www.saysoccer.org). As duas funcionam de maneira similar.
 
À medida que um garoto ou garota se interesse em participar de competições, dai a opção e de se afiliar a um clube. Clubes têm diferentes níveis que envolvem participação em competições locais, regionais ou nacionais. Em geral, esses clubes são afiliados a entidade US-Youth Soccer (http://www.usyouthsoccer.org/index.asp). Clubes afiliados normalmente cobram taxa de participação e possuem estrutura que chega a ser invejável a clubes profissionais.
 
Jogadores (as) que despontam em clubes têm a opção de fazer teste para serem aceitos no programa que tem objetivo de detectar valores para as seleções nacionais. Esse programa é o ODP ou Olympic Development Program (Programa de Desenvolvimento Olimpico - http://www.usyouthsoccer.org/programs/OlympicDevelopmentProgram.asp).
 
Está vinculado ao US-Youth Soccer e faz uma triagem que começa regionalmente. Há até um programa de ODP Europeu que detecta jogadores de cidadania americana que moram na Europa (http://www.odp-europe.com/).
 
Outra opção para a elite jovem é de se afiliar a uma academia de futebol. Muito comum no mundo do tênis e da ginástica, essas academias permitem ao jovem estudar e morar na academia e treinar futebol em período integral (por exemplo, a IMG - http://www.imgacademies.com/soccer-academy/). Essas academias, porém, são caras, mas têm uma estrutura fantástica.
 
Até certo ponto, o afunilamento dos jovens de potencial é bastante elitista. As opções são caras e as famílias fazem alto esforco para poder manter os jovens participando desses eventos e competições. Em teoria, há oportunidades de "bolsas" e descontos, mas são poucos os clubes que usam dessa prática.
 
Há também a prática do futebol competitivo dentro do sistema educacional. Escolas de nível primário até universitário podem também oferecer oportunidades de participação. As ligas são muito organizadas e se enquadram em diferentes níveis de competição. As melhores ligas têm nivel alto. De fato, o futebol universitário é visto como a principal fonte de revelação de jogadores (as) para o nível profissional.


Na minha próxima coluna, me prenderei à organização do nível profissional. Mas uma coisa o leitor pode já ver: a prática do futebol nos EUA e as oportunidades e estruturas são avançadas e permitem ao aficionado o sonho de chegar ao nível mais alto da modalidade.